Sindigru participa de reunião do Coletivo Estadual de Mulheres da CUT/SP

Atividade está debatendo os impactos da reforma da previdência para as mulheres

Por: Redação Sindigru - Publicação: 16/04/2019

O Coletivo Estadual de Mulheres da CUT/SP está promovendo nesta terça-feira (16) uma reunião para debater os impactos da reforma da previdência para as mulheres. A secretária geral do Sindigru, Debora Cavalcanti, e  trabalhadoras de diversas categorias estão participando da atividade, que acontece na sede da CUT, bairro do Brás, capital paulista.

A atividade é ministrada pela economista e pesquisadora Marilane Teixeira. O evento também vai fazer uma avaliação das mobilizações do Mês Internacional das Mulheres, março, tratar a continuidade da Jornada de Luta das Mulheres; ações contra  a "reforma da Previdência"; campanha Lula Livre e ações de resistência e luta em defesa das políticas para as mulheres situação dos Conselhos.

Na parte da tarde acontece Oficina de Comunicação com a Secretaria de Comunicação da CUT/SP. Acompanhe a atividade no facebook do Sindigru 

Comunicação do SINDIGRU/CUT

Jornalista Responsável: Viviane Barbosa Mtb-28121
Redatora: Vanessa Barboza Mtb-74572
Mídia Consulte: 55 + (11) –3136-0956 - 9+6948-7449
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com.br


Últimas Notícias

Sindigru inaugura pousada na Praia Grande em outubro

16/08/2019 - Destaque

Associados e associadas interessados já podem fazer inscrições diretamente no Sindicato

Deputados aprovam MP que acaba com descanso aos domingos e horas extras

14/08/2019 - Linha Rápida

Ao contrário do que diz site da Câmara, CUT tentou tirar todos os itens trabalhistas da MP para impedir retrocessos e ataques ao direitos conquistados pela classe trabalhadora

Reforma: Confira as maldades que os deputados aprovaram no 2º turno de votação

12/08/2019 - Conexão

Eles mantiveram no texto-base restrição a quem recebe dois benefícios, por menor que sejam os valores, e contribuição de servidor aposentado que ganha mais de R$ 1.000,00

Trabalhador pode perder o direito de sacar saldo do FGTS quando for demitido

09/08/2019 - Destaque

A cilada da medida do governo Bolsonaro é que o trabalhador que aderir ao saque-aniversário perderá o direito de sacar tudo que tiver na conta quando for demitido sem justa causa, momento em que mais precisará

+

Campanha Salarial

Fotos

Paralisação no GRU Airport contra demissão arbitrária de dirigentes do Sintaag

Vídeos

Facebook