Após luta do Sindigru, Latam sinaliza reavaliar demissões arbitrárias no GRU Airport

Empresa se comprometeu em audiência mediada pelo MPT com a presença do Sindigru em responder em até dez dias

Por: Viviane Barbosa, Redação Sindigru - Publicação: 03/04/2019
Ata do MPT - 2 de abril 2019 - Baixar Imagem

O Ministério Público do Trabalho (MPT), o Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos (Sindigru) e a empresa aérea Latam realizaram, na terça-feira (2), uma audiência de mediação para debater as demissões arbitrárias e desumanas realizadas pela empresa no Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU Airport), ocorridas no dia 21 de março.

A audiência solicitada pelo Sindigru teve o objetivo de relatar as condutas inadequadas da Latam, que efetuou as demissões nos setores de check-in e atendimento, por justa causa, e não apresentou provas contundentes sobre as supostas fraudes que a empresa alegou que os trabalhadores estavam fazendo no sistema de emissão de passagens. (entenda o caso abaixo). 

O Sindicato também denunciou ao MPT as práticas de terrorismo psicológico na hora dos desligamentos.  Durante a audiência, a Latam se opôs a apresentar as provas que justificassem as demissões, mesmo com a insistência do Sindigru e dos trabalhadores demitidos. 

A pedido do Sindicato, os representantes da Latam se comprometeram em reavaliar cada demissão e respondê-las no prazo de 10 dias.  “A atuação forte do Sindigru na luta pela defesa dos direitos e pela reintegração aos postos de trabalho foi fundamental para que a Latam reavaliasse seu posicionamento”, frisa Direção.


Entenda o caso

No dia 21 de março, o Sindigru recebeu uma grave denúncia de que os trabalhadores dos setores de atendimento e check-in no Aeroporto foram surpreendidos com demissões de forma arbitrária e desumana pela LATAM.

Segundo o Sindicato, a empresa demitiu vários funcionários e funcionárias por justa causa, alegando que eles teriam praticado fraude na emissão de passagens, ou seja, teriam alterado o destino das passagens de alguns clientes, sem prévia autorização. 

Na opinião do Sindigru, as supostas fraudes podem estar atreladas a falhas no novo sistema de emissão de passagens, que foi implementado pela LATAM há cerca de oito meses.  "Os trabalhadores não tiveram treinamento adequado para operá-lo e o sistema anterior não há registros de fraudes desse tipo", informa o Sindicato.

O Sindicato exigiu transparência da empresa para entender como foi a “suposta” investigação que alegou fraude na emissão de passagens. A entidade alerta também que doenças ocupacionais poderão ocorrer por conta da crueldade da empresa. 

“Muitos trabalhadores que nos procuraram ficaram em estado de choque. Eles foram coagidos de forma perversa, pressionados a assinar um documento de demissão por justa causa, sem provas. A palavra que definiu o sentimento deles é humilhação. Isso é extremamente grave e desumano”, enfatiza a direção do Sindigru.


Clique aqui para baixar a ata do MPT em PDF

Comunicação do SINDIGRU/CUT

Jornalista Responsável: Viviane Barbosa Mtb-28121
Redatora: Vanessa Barboza Mtb-74572
Mídia Consulte: 55 + (11) –3136-0956 - 9+6948-7449
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com.br


Últimas Notícias

Sindigru inaugura pousada na Praia Grande em outubro

16/08/2019 - Destaque

Associados e associadas interessados já podem fazer inscrições diretamente no Sindicato

Deputados aprovam MP que acaba com descanso aos domingos e horas extras

14/08/2019 - Linha Rápida

Ao contrário do que diz site da Câmara, CUT tentou tirar todos os itens trabalhistas da MP para impedir retrocessos e ataques ao direitos conquistados pela classe trabalhadora

Reforma: Confira as maldades que os deputados aprovaram no 2º turno de votação

12/08/2019 - Conexão

Eles mantiveram no texto-base restrição a quem recebe dois benefícios, por menor que sejam os valores, e contribuição de servidor aposentado que ganha mais de R$ 1.000,00

Trabalhador pode perder o direito de sacar saldo do FGTS quando for demitido

09/08/2019 - Destaque

A cilada da medida do governo Bolsonaro é que o trabalhador que aderir ao saque-aniversário perderá o direito de sacar tudo que tiver na conta quando for demitido sem justa causa, momento em que mais precisará

+

Campanha Salarial

Fotos

Paralisação no GRU Airport contra demissão arbitrária de dirigentes do Sintaag

Vídeos

Facebook