Comissão Paritária: Aeroviários e Aeronautas explicam às empresas a necessidade de melhorias nos direitos sociais

Na próxima reunião, no dia 31, o SNEA apresentará contrapropostas das reivindicações, que se aprovadas, serão incluídas nas CCT das categorias

Por: Viviane Barbosa, da Redação do Sindigru - Publicação: 11/05/2016
Bancada dos Trabalhadores faz leitura das explicações das cláusulas - foto: Viviane Barbosa/Mídia Consulte - Baixar Imagem

Já começou  o debate das Comissões Paritárias, propostas pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), na última Campanha Salarial, que visa a inclusão de melhorias nos direitos sociais dos aeronautas e aeroviários nas Convenções Coletivas de Trabalho (CCT).

A pedido das empresas, representadas pelo Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA), dirigentes dos Aeroviários de Guarulhos e dos Sindicatos de base Nacional dos Aeroviários e Aeronautas apresentaram em reunião, realizada, no dia 11, na sede da entidade patronal, as justificativas de melhorias nas cláusulas vigentes na CCT que tratam no caso dos aeroviários: das folgas agrupadas na escala 5X1 para quem trabalham em escala de revezamento, e nos aeronautas: o Passe-Livre e o Período Oposto.

No caso dos aeroviários, a reivindicação é tornar o direito à folga agrupada ou dobrada (que hoje são dois dias, geralmente o trabalhador tira o sábado e domingo ou domingo e segunda) todos os meses.

Hoje, segundo a CCT, o aeroviário só pode tirar essa folga de dois dias um mês sim e outro não. 

“No caso de Guarulhos, essa mudança se for acordada com as empresas beneficiará a maioria dos aeroviários do Aeroporto de Cumbica, que trabalham na escala 5X1, na jornada de 36 horas. Nossa intenção é que todos tenham uma dobrada semanal, preferencialmente no sábado e domingo todo mês”, explica o diretor da FENTAC e do Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos, Orisson Melo.

Passe-Livre e Período Oposto

O presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, comandante Adriano Castanho, defendeu a importância de incluir na CCT o aumento do limite de embarque por aeronave – que hoje é cinco para sete lugares no voo e que as empresas adotem um sistema automático de concessão desse direito.

Outra reivindicação dos aeronautas é sobre a cláusula que trata do  período oposto, que trata sobre as folgas dos tripulantes.

Hoje, as empresas concedem três folgas consecutivas, dentro do limite mínimo de nove folgas mensais aos aeronautas que retornaram do período de férias, após seis meses, mediante solicitação.

A proposta é aumentar estas folgas de três para dez dias consecutivos.

Perguntado pelos representantes das empresas aéreas, por que essas alterações são importantes para os aeronautas, Castanho foi enfático: “Nosso motivo é a convivência social e familiar”, finaliza.

Resultados das Comissões e reunião bimestral SNEA

Os resultados das Comissões deverão constar em um termo aditivo à CCT, com prazo até 30 de novembro de 2016. A próxima reunião bimestral entre a FENTAC, os sindicatos filiados dos aeronautas e aeroviários e o SNEA está agendada para o dia 29 de junho, às 15h, na sede da entidade patronal, em São Paulo

Calendário da próxima reunião das Comissões Paritárias
Data: 31 de maio, às 15h, na sede do SNEA

 

Comunicação do SINDIGRU/CUT

Jornalista Responsável: Viviane Barbosa Mtb-28121
Redatora: Vanessa Barboza Mtb-74572
Mídia Consulte: 55 + (11) –3136-0956 - 9+6948-7449
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com.br


Últimas Notícias

Sindigru inaugura pousada na Praia Grande em outubro

16/08/2019 - Destaque

Associados e associadas interessados já podem fazer inscrições diretamente no Sindicato

Deputados aprovam MP que acaba com descanso aos domingos e horas extras

14/08/2019 - Linha Rápida

Ao contrário do que diz site da Câmara, CUT tentou tirar todos os itens trabalhistas da MP para impedir retrocessos e ataques ao direitos conquistados pela classe trabalhadora

Reforma: Confira as maldades que os deputados aprovaram no 2º turno de votação

12/08/2019 - Conexão

Eles mantiveram no texto-base restrição a quem recebe dois benefícios, por menor que sejam os valores, e contribuição de servidor aposentado que ganha mais de R$ 1.000,00

Trabalhador pode perder o direito de sacar saldo do FGTS quando for demitido

09/08/2019 - Destaque

A cilada da medida do governo Bolsonaro é que o trabalhador que aderir ao saque-aniversário perderá o direito de sacar tudo que tiver na conta quando for demitido sem justa causa, momento em que mais precisará

+

Campanha Salarial

Fotos

Paralisação no GRU Airport contra demissão arbitrária de dirigentes do Sintaag

Vídeos

Facebook