Campanha Salarial: Em resposta às empresas, aeronautas e aeroviários param o Aeroporto Santos Dumont

A manifestação aconteceu na manhã desta segunda-feira (15). Os trabalhadores preparam uma atividade surpresa para o dia 22 de dezembro

Publicação: 15/12/2014
Claudia Fonseca - Baixar Imagem

Cerca de 100 aeroviários e aeronautas da base da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (FENTAC) realizaram na manhã desta segunda-feira (15), uma paralisação relâmpago de 90 minutos no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro. O objetivo do ato foi chamar a atenção das empresas aéreas, que se recusam a dar reposição salarial com ganho real  aos trabalhadores.

As categorias estão em Campanha Salarial unificada. A data base é 1º de dezembro e a pauta de revindicações foi entregue no dia 30 de setembro. As negociações com o Sindicato Nacional das Empresas Aéreas (SNEA) começaram em outubro, mas foram adiadas três vezes, pois a bancada patronal não apresentou uma contraproposta à Federação.

O SNEA ofereceu apenas a proposta econômica de reajuste salarial de  6,33%, ou seja, apenas a reposição integral da inflação da data base das categorias, 1º de dezembro, calculada pelo INPC do IBGE . Os trabalhadores reivindicam 11% de aumento salarial e aplicação deste índice nos demais itens econômicos.

“Entregamos a pauta com tempo o suficiente para as empresas analisarem. Nós avisamos, quando o trabalhador soubesse o que foi colocado na mesa de negociação, ele daria a resposta. Estamos no limite”, afirmou o presidente da FENTAC/CUT, Sergio Dias. 

Próxima rodada de negociação

As negociações entre o SNEA e a FENTAC/CUT continuam no dia 18 de dezembro (quinta-feira), às 10h, na sede do sindicato patronal, no bairro do Ibirapuera, em São Paulo.

Luta pelo aumento real  

Há três anos, os aeronautas e aeroviários não têm aumento real. Segundo levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Diesse), 93% das negociações acompanhadas pelo órgão tiveram ganho real. A aviação, que é um dos maiores setores da economia, está entre os 7% que não conseguem avanços salariais. 

 Setor em alta

“Esse ano a demanda da aviação cresceu 5,5%, a produtividade teve avanço de 6,3%  e os trabalhadores não tiveram retorno. A aviação é  um dos únicos setores da economia que mais crescem, ficando atrás apenas do financeiro. As empresas aéreas têm condições de dar um aumento real digno”,  esclareceu o sociólogo e  técnico do Diesse da FENTAC, Mahatma Ramos.


Dia 22 de dezembro 
A Federação está preparando uma grande ação para o dia 22 de dezembro. A entidade publicou em site uma "bomba relógio" com a data e uma arte que mostra o perfil de uma pessoa em formato de interrogação. "Mobilizaremos toda a nossa base para esta data. O formato será uma surpresa, aguardem", informa Dias.

Em campanha

A data-base das categorias é 1º de dezembro e estão em campanha cerca de 70 mil aeronautas e aeroviários em todo o País. A base da Federação é representada pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA/CUT), pelos Sindicatos regionais dos Aeroviários de Guarulhos, Porto Alegre, Campinas, Recife e pelo Sindicato Nacional dos Aeroviários (SNA/CUT), que representa 22 estados.

Hotsite da Campanha

Os slogans da Campanha Salarial da FENTAC são “Desafio a empresa a me valorizar” e “Chega de Ganhar Mal, Queremos mais Direitos e Ganho real”. A entidade fez um hotsite(www.aeronautaseaeroviarios.com.br) que traz informações sobre a aviação civil no Brasil, no mundo, comparativos dos salários nos últimos anos, perfil das categorias, receita das companhias aéreas e imagens da repercussão da Campanha nos aeroportos de todo o Brasil.

Reivindicações das categorias

Aeroviários 

- Reposição da Inflação com aumento real de 11%;
- Reajustes nos pisos salariais de 11% para: auxiliares de serviços gerais e de manutenção de aeronaves; agente de proteção; operador de equipamento; mecânico de manutenção de aeronaves e despachante/agente de check-in/aeroporto;
- Criação de piso para agente de Check-in;
- Vale refeição R$ 16,65 para os aeroviários com jornada de trabalho de até 6 horas, e de R$ 22,71 para os demais;
-Seguro de vida: total ou parcial, no valor de R$ 20.000,00;
- Fornecimento de cosméticos quando exigido;
- Cesta básica de R$ 326,67;
- Jornada de trabalho de 36 horas semanais, exceto para os aeroviários que laborem em funções administrativas, que neste caso será de 40 horas semanais;
- Creche e/ou escola de educação infantil para filhos de aeroviários e aeroviárias.

Aeronautas

- Reajuste de todos os itens econômicos (salários, diárias, pisos, vale alimentação e seguro): 11%
- Alteração da cláusula da Compensação Orgânica;
- Definição de valores para as diárias internacionais;
-  Fim do teto para ganho do vale-alimentação;
- Pagamento em caso de jornadas semanais maiores que 44 horas;
- Um dia ou período para atividades relacionadas ao uniforme do aeronauta;
- Aumento do Período Oposto para 6 dias consecutivos;
- Fim do limite de 5 aeronautas no Passe Livre;
- Novo número mínimo de folgas mensais;
- Limitação das madrugadas consecutivas;
- Remuneração das horas de solo;
- Plano de previdência privada.

Da Redação FENTAC

Comunicação do SINDIGRU/CUT

Jornalista Responsável: Viviane Barbosa Mtb-28121
Redatora: Vanessa Barboza Mtb-74572
Mídia Consulte: 55 + (11) –3136-0956 - 9+6948-7449
Redação: jornalismo@midiaconsulte.com.br


Últimas Notícias

Ministério Público do Trabalho defende fortalecimento dos Sindicatos

10/07/2018 - Destaque

Confira vídeo divulgado pelo órgão! #VemProSindigru

Escola DIEESE prorroga inscrições para pós-graduação em Sindicalismo e Trabalho

06/07/2018 - Linha Rápida

Inscreva-se até 27 de julho

Plantão jurídico

05/07/2018 - Destaque

#1ºCopaDosAeroviários

03/07/2018 - Destaque

Confira a Tabela dos jogos

+

Convênios

Campanha Salarial

Fotos

Paralisação no GRU Airport contra demissão arbitrária de dirigentes do Sintaag

Vídeos

Facebook